Desenvolvimento cognitivo e consumo de frutas

0
967

Vamos falar sobre o consumo de uma alimentação saudável e sua relação com o desenvolvimento cognitivo. Em um estudo publicado pela revista Neurology, em janeiro desse ano, os pesquisadores avaliaram a associação da ingestão a longo prazo de vegetais e frutas e sua relação com a função cognitiva subjetiva (SCF) em adultos.

Este estudo de coorte, incluiu 27.842 homens com idade média de 51 anos entre os anos de 1986 até 2002.

Os resultados mostraram que ingerir mais vegetais, frutas ou suco de frutas a partir da meia idade diminui as chances de ter uma função cognitiva subjetiva moderada diminuída. O consumo regular de suco de laranja, por exemplo, pode ter um papel protetor na função cognitiva na vida adulta.

De forma geral, a pesquisa sugere o papel benéfico a longo prazo do consumo de vegetais, frutas e suco de laranja natural em relação à função cognitiva, apoiando a hipótese de que uma maior ingestão a longo prazo de vegetais e frutas pode ter um importante papel na manutenção da saúde mental.

A explicação possível sugerida pelos autores, deve-se que muitos nutrientes antioxidantes e substâncias bioativas (incluindo vitaminas A, B, C e E, carotenóides, flavonoides e polifenóis) encontrados naturalmente em vegetais, e frutas, têm a hipótese de reduzir o estresse oxidativo cerebral, melhoram o desempenho cognitivo e previnem danos neuronais, prevenindo a disfunção neurológica e os danos à função cognitiva com o decorrer da idade.

Os resultados deste estudo vão em concordância com o que discutimos esta semana, por meio de um estudo brasileiro.

Ou seja, não restam dúvidas que o consumo regular e contínuo e a longo prazo de vegetais e além disso, a adoção de uma Plant Based que tanto falamos por aqui, são benéficas a saúde.

Que tal mais uma fruta?

 

 

Referências bibliográficas:

Yuan, C., Fondell, E., Bhushan, A., Ascherio, A., Okereke, O. I., Grodstein, F., & Willett, W. C. Long-term intake of vegetables and fruits and subjective cognitive function in US men. Neurology, 2018, Volume 92, Number 1.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, digite seu nome