Festas juninas: conheça 2 alimentos típicos que ricos em nutrientes

0
218
festas juninas

Nada combina mais com temperaturas baixas do que comidas típicas das festividades juninas, não é mesmo?! Embora muitos deles sejam populares durante o ano inteiro em algumas regiões do país, nessa época, eles passam a ser requisitados no Brasil todo. Entre eles, podemos destacar o pinhão e o amendoim, dois alimentos muito nutritivos.

Mais consumido no sul do país, o pinhão é a semente comestível da árvore Araucaria angustifolia e pode ser consumido cozido, assado no forno ou chapa, triturado em farofas e em diversas preparações. Ele também é conhecido por ser uma excelente fonte de carboidratos e fibras.

Mas não é só isso! De acordo com a Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento do Brasil), o pinhão também se destaca pelo fornecimento de potássio! Além disso, ele é composto pelos minerais: cobre, magnésio, zinco, manganês, ferro, cálcio, fósforo, enxofre e sódio. Ainda são encontrados os ácidos graxos linoleico (ômega 6) e oleico (ômega 9), importantes para saúde cardiovascular.

Já o amendoim, embora bem mais popular no país do que o pinhão, também é mais consumido na época de festas juninas, nas mais diversas formas de preparação: na paçoquinha ou no pé de moleque, como complemento da canjica, no famoso cri-cri do sul ou simplesmente caramelizado ou assado. É também usado para a produção de óleo.

Por incrível que pareça, o pequeno alimento, assim como os seus subprodutos, é rico em vários compostos funcionais como proteínas, fibras, polifenóis, antioxidantes, vitaminas e minerais. E, recentemente, especialistas também revelaram que ele é uma excelente fonte de compostos como resveratrol, ácidos fenólicos, flavonoides e fitoesteróis que bloqueiam a absorção do colesterol da dieta.

Além disso, o amendoim também se provou ser uma boa fonte de Coenzima Q10 e conter todos os 20 aminoácidos com maior quantidade de arginina, reconhecidos por terem propriedades preventivas de doenças e promover a longevidade.

De fato, numa recente revisão sistemática da literatura e meta-análise publicada na Critical Review Food Science and Nutrition, foi avaliado o efeito do consumo de amendoim sobre os fatores de risco de doenças cardiovasculares.

Segundo os dados, o alimento, especialmente em forma de óleo, teve um efeito positivo significativo no colesterol de lipoproteína de alta densidade (HDL), em indivíduos saudáveis ​​e pós-consumo de mais de 12 semanas.

Para os autores do estudo, tendo em vista que o amendoim, como citado, é fonte de muitos componentes bioativos conhecidos por reduzir o risco de problemas no coração de várias maneiras, isso sugere que o consumo do alimento pode ser benéfico nesse sentido.

Contudo, é importante salientar que as preparações mais açucaradas ou calóricas, tanto do pinhão como do amendoim, não são indicadas pensando num objetivo de benefício nutricional, assim como não devem nunca ser consumidas em excesso!

Referências bibliográficas:

ARYA, S. S.; SALVE, A. R.; CHAUHAN, S. Peanuts as functional food: a review. J Food Sci Technol, 53(1):31–41, 2016.

EMBRAPA. Valor do Pinhão. S. d.

JAFARI AZAD, B.; DANESHZAD, E.; AZADBAKHT, L. Peanut and cardiovascular disease risk factors: A systematic review and meta-analysis. Critical Reviews in Food Science and Nutrition, 1–18, 2019. doi:10.1080/10408398.2018.1558395 

OLIVEIRA, F. C. Estudos tecnológicos e de engenharia para o armazenamento e processamento do pinhão. [Tese de doutorado], Universidade Federal Do Rio Grande Do Sul. Escola De Engenharia. Departamento De Engenharia Química. Programa De Pós-Graduação Em Engenharia Química, Porto Alegre, 2008.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, digite seu nome